English EN Portuguese PT

Cancelador cancelado? Quais lições tiramos da alta rejeição de Karol Conká no BBB21?

O Big Brother Brasil é um programa que costuma dominar os assuntos dos três primeiros meses do ano dos brasileiros. Basta uma rápida navegada nas principais redes sociais para confirmar este fato. A 21ª edição do reality show despertou ainda mais a atenção dos internautas devido aos acontecimentos dentro da casa, principalmente de uma participante, a rapper Karol Conká. 

Na terça-feira, 23, o Brasil parou para assistir mais uma eliminação do programa que alcançou a maior audiência em uma década. 99,17% foi a porcentagem de rejeição que Karol recebeu, a maior já registrada na história do BBB. 

Desta vez, o famigerado paredão trouxe outras questões muito mais profundas. Não era só a saída de mais um polêmico participante do jogo, ali estavam expostos assuntos muito atuais e frequentemente discutidos pela sociedade.

O cancelamento do cancelador

As redes sociais atuam como um tribunal de pessoas e marcas, afinal é nesse espaço em que os usuários decidem quem será cancelado. Uma atitude, uma palavra, um pensamento e uma ideia são questões primordiais para decidir a sentença de alguém. Mas, devemos cancelar uma pessoa? 

Karol Conká foi a representação do que acontece na sociedade. Ela cancelou participantes e foi cancelada pelo público. E é isso que acontece fora das câmeras, podemos ser o cancelador e o cancelado ao mesmo tempo.

A internet é um recurso que vem para o bem, mas ela também é muito maldosa, pois muitos acham que se trata de uma terra sem lei. Tanto que fizeram ameaças não só à família de Karol como também à de Nego Di, outro participante eliminado do BBB21. Será que as atitudes deles foram tão graves assim ao ponto de sofrerem ameaças?

O comportamento nas redes sociais foi tão cruel e exagerado que o apresentador do programa, Thiago Leifert, teve que fazer um discurso de eliminação mais equilibrado, uma bem intencionada tentativa de preservar e recuperar um pouco a imagem de Karol, que foi desmorallizada e perdeu uma legião de seguidores durante seu período de confinamento. 

Respeito nas redes

Existe um movimento, chamado “Respeito nas redes”, que vem para mostrar que a internet não é uma terra sem lei, que devemos reduzir o cancelamento e que qualquer ação traz consequências. 

A eliminação de Karol Conká e  repercussão junto a esses temas nos motivou a gravar uma edição extra do nosso podcast “Gestão Sem Crise”. Afinal, precisamos entender, analisar e debater estes fenômenos sócio-comportamentais. 

Em um bate-papo de 40 minutos, a CEO da WPB, Patrícia B. Teixeira, conduziu uma enriquecedora conversa com as especialistas em Comunicação e Gestão de Crise Ana Flávia de Bello Rodrigues, Sócia-fundadora da Startup Alerta de Crise, e Rosângela Florczak, Consultora e Professora em Comunicação Corporativa e gestão de reputação, especializada em Prevenção e Gestão de Crise.

Artigos relacionados

Redes Sociais e saúde mental: como equilibrar os dois na vida cotidiana?

Redes Sociais e saúde mental: como equilibrar os dois na vida cotidiana?

As redes sociais viraram tudo em nossa vida. Fonte de informação, entretenimento, trabalho e bate-papo. Na pandemia, seu uso foi […]

Leia Mais
Práticas sustentáveis adotadas por empresas reforçam imagem e reputação

Práticas sustentáveis adotadas por empresas reforçam imagem e reputação

Sempre que nos aproximamos de uma data comemorativa relacionada à sustentabilidade surge uma enxurrada de publicações e mensagens nas redes […]

Leia Mais
Dia Mundial contra a Cibercensura

Dia Mundial contra a Cibercensura

O que é a cibercensura? Para responder a essa pergunta precisamos destrinchar a palavra!  Censura é definida por visar a […]

Leia Mais

Add Comment

Open chat