O que é comitê de crise e para que serve?

o que é comitê de crise

Você já ouviu falar sobre o comitê de crise? Uma empresa, por mais que tenha uma excelente gestão, está exposta a momentos de dificuldade ou problemas que podem comprometer a sua imagem. É nesta hora que um comitê de crise bem estruturado é de extrema importância para tomar decisões rápidas e assertivas, buscando garantir  segurança e bem-estar para os seus colaboradores. Neste artigo, explicamos para que serve o comitê de crise e damos dicas para os primeiros passos. Vamos lá?

O que é uma crise?

Antes de falarmos sobre comitê de crise é preciso entender o que é uma crise. Sabemos que qualquer empresa, independente do porte e área de atuação, está sujeita a passar por momentos conturbados. Uma crise empresarial é o aparecimento de um problema que afeta diretamente as operações e/ou a reputação da organização. 

No entanto, existem diferentes tipos de crise empresarial, como por exemplo: questões legais que podem gerar multas milionárias ou levar a interdição da organização, atitudes de sabotagem por parte de colaboradores, falhas em equipamentos paralisando a rotina de trabalho, falhas graves na gestão financeira ou até mesmo uma crise de imagem, seja por meio da imprensa ou redes sociais, em razão de denúncias/reclamações de um consumidor. 

Mas, nem sempre, as empresas estão preparadas para lidar com situações de crise. Por isso, a formação de um comitê de gestão de crise é o primeiro passo para estabelecer planos e procedimentos que auxiliem na prevenção e gerenciamento com agilidade e eficiência nesses momentos. 

O que é comitê de crise? 

A palavra comitê pode ser usada como sinônimo de comissão, que refere-se a um grupo de pessoas que trabalham juntas para resolver um determinado problema ou até mesmo criar um projeto. O comitê de gestão de crise deve ser multidisciplinar, formado por profissionais de diferentes departamentos e que estejam preparados para enfrentar situações de perigo e colocar em prática os planos de ação definidos na etapa de mapeamento e análise dos riscos.  

Essa equipe deve estar treinada e ter participado de simulados para atuar de forma assertiva no comitê. Ela deve ser acionada completa ou parcialmente conforme o tipo de crise que a organização esteja passando. Abaixo, trazemos com mais detalhes a importância de montar um comitê de gestão de crise na sua empresa. Continue a leitura! 

A importância do comitê de crise para as empresas 

Sabemos que uma crise pode chegar a qualquer momento, proveniente de qualquer setor da empresa, e pode gerar insegurança e desinformação dentro das organizações. Mas, há alguns passos de um procedimento padrão a seguir para resolução de uma crise. Ao identificar o problema, a equipe de gestão de crise deve ser imediatamente acionada para agir. Explicamos o que é gestão de crise e porque ela é vital para as empresas em outro artigo. Confira aqui

É muito necessário investir em um comitê de crise nas organizações, a fim de coordenar, direcionar e definir com ética a tomada de novas decisões. Afinal, um comitê de crise tem diversas responsabilidade, entre elas:

  • identificar, analisar informações e dados relevantes, além de escutar os responsáveis diretos do departamento da ocorrência;
  • entender qual é a dimensão do problema para identificar as ações que podem ser tomadas durante esse período de crise;
  • elaborar um plano de gestão de crise, contingência e continuidade do negócio detalhado, com o intuito de manter a normalidade das operações da empresa, zelar pelo bem-estar dos colaboradores na rotina de trabalho e pelas necessidades dos seus clientes;
  • definir argumentos transparentes tanto para o público interno (colaboradores) quanto para o externo (clientes) mostrando que a organização está tomando ações para minimizar ou resolver a crise. Outro detalhe, é ter o porta-voz adequado para cada tipo de solicitação. 

Entenda como montar um comitê de crise

Para montar um comitê de crise na sua empresa, o primeiro passo é mapear o perfil das pessoas que farão parte dele, já que é essencial que ele seja composto por profissionais que entendam do assunto, estejam atualizados sobre os acontecimentos no mercado e que tenham agilidade para lidar com  situações de pressão. Após definir quem fará parte do comitê, outros passos são importantes. São eles:  

  • mapear os riscos: por meio de imersão, pesquisas e fontes internas e externas, avaliar os riscos da organização, classificá-los e estabelecer gatilhos de acionamento. Necessário também monitorá-los constantemente;
  • criar um canal de comunicação oficial: para que as informações cheguem a todos as áreas bem alinhadas e não gere dúvidas para os públicos interno e externo. Além de contar com um porta-voz capacitado para responder às dúvidas e/ou questionamentos;
  • demonstrar preocupação com o público: esclareça as dúvidas para os públicos interno e externo, a fim de passar segurança de que algo está sendo feito por parte da organização para solucionar ou minimizar o problema;
  • manutenção da rotina de trabalho: a organização não pode parar enquanto se gerencia uma crise. Lembre também que as áreas de linha de frente com o cliente devem ser imediatamente preparadas para responder à crise ou saber para quem direcionar.

Conte com a WPB na gestão de crise da sua empresa 

Agora que você já sabe o que é e a importância de um comitê de crise na sua empresa, conte com uma equipe especializada na gestão de risco e de crise para te ajudar a se preparar para as adversidades e garantir a saúde do seu negócio.

Com planejamento, monitoramento dos riscos e fluxos de acionamentos bem definidos, a resposta aos mais diferentes cenários se torna rápida e assertiva. Para essa proposta conte com a WePlanBefore.

Compartilhe

Deixe um comentário