Cultura de proteção de dados para estar em conformidade com a LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) já é uma realidade no Brasil, porém existem muitas dúvidas a respeito do seu funcionamento, das aplicações e seus desdobramentos, tanto para as pessoas quanto para as organizações. 

O que sabemos de fato é que criar e implantar um sistema de proteção de dados pessoais nas empresas se tornou algo, no mínimo, essencial, justamente para se estar em conformidade com a lei. 

Essa cultura de proteção de dados tem que estar absolutamente em linha com as normas estabelecidas, até porque a lei traz uma série de princípios e exigências que devem conduzir a construção deste sistema.

Sistema de proteção de dados é imprescindível

O objetivo principal do programa de gestão de dados e informações pessoais é proteger e controlar estes bens. Sim, dados são bens e extremamente valiosos. Por isso, para criar uma cultura de proteção, o primeiro passo é analisar os riscos, mapeando cenários e entendendo a proporção do trabalho de curadoria dos dados.

A partir da criação deste sistema é a vez de comunicar as partes envolvidas, sempre buscando procedimentos, métodos e mecanismos padrões que facilitem a operação e o entendimento de tudo aquilo que está em desenvolvimento. É oportuno mencionar que um eventual incidente, como o vazamento de dados, não depende apenas de um eficiente modelo de proteção, mas também da atuação das pessoas que dele participam.

Deste modo, a construção de uma cultura de proteção de dados dentro da organização é um dos maiores desafios, além de ser algo imprescindível.

A LGPD traz questões sensíveis relacionadas à proteção de dados, como a finalidade e o propósito da sua utilização, que deve ser muito clara, transparente e específica. No tocante à prevenção, a lei exige que as empresas adotem medidas para mitigar incidentes, ocorrências e danos desta natureza. Aqui, o princípio da boa-fé tem grande valia, já que demonstrar que iniciativas e medidas para a implantação de um programa de conformidade à lei foram colocadas em prática é relevante e mostra para as autoridades legais que não houve negligência.

Por tudo isso, podemos afirmar que o conceito de cultura de proteção de dados excede procedimentos, normas e regras a serem seguidas pelos colaboradores no cotidiano de uma empresa. Estamos falando de algo muito maior. Estamos falando de essência, conscientização, comprometimento e, acima de tudo, de construir uma cultura.

Compartilhe

Deixe um comentário