Modelo de trabalho pós-pandemia: presencial, home office ou híbrido?

A pandemia da Covid-19 fez com que todos precisassem se adaptar a uma nova realidade. O mercado de trabalho, mesmo lidando com mudanças gradativas quanto ao modelo de atuação de profissionais de todos os setores e segmentos nos últimos anos, teve que acelerar para valer essa transformação. Se antes boa parte das empresas ainda eram fiéis ao modelo de trabalho presencial, com a pandemia, a grande maioria adotou o home office.

A adesão ao modelo integralmente remoto trouxe grandes desafios e mostrou que nem sempre existe a necessidade de se estar no escritório e que é possível exercer determinadas funções à distância, basta que se tenha o equipamento necessário, basicamente um computador conectado à internet.

Qual vai ser o modelo de trabalho no pós-pandemia?

Falar em pós-pandemia quando ainda estamos vivendo no meio dela fica um pouco complicado. Porém, tendo como base atitudes de grandes empresas, como o Twitter, que anunciou que o trabalho remoto será o padrão adotado daqui para a frente e os colaboradores não precisam mais ir ao escritório ao menos que queiram, podemos concluir que a modalidade de trabalho no pós vai depender de cada organização. Tudo nos leva a crer que o home office e o modelo híbrido serão os que devem prevalecer. 

Qual a diferença de um modelo para outro? 

Basicamente é a forma efetiva de como trabalhar. 

Trabalho remoto ou Teletrabalho: serviço que pode ser exercido em qualquer lugar e não há necessidade de ir para o escritório.  

Modelo híbrido: trabalho por escala. O funcionário trabalha alguns dias em casa e outros no escritório. Esse modelo pode ser algo determinado pela empresa, mas também pode ficar a critério do colaborador, vai depender do que for acordado.  

Presencial: o profissional exerce suas funções 100% do tempo na empresa. 

Obviamente não há uma resposta certa de qual modelo de trabalho será mais presente no pós-pandemia, porém, uma pesquisa realizada pela Gartner apontou que 82% das empresas brasileiras pretendem que seus funcionários continuem no home office. Já uma pesquisa feita pela Robert Half, mostrou que 86% dos profissionais declararam que gostariam de seguir atuando em casa. 

A partir desses resultados podemos imaginar que essa transformação acelerada no mercado de trabalho é algo que veio para ficar. E que, mesmo com todas as incertezas trazidas pela Covid-19, essa pode ter sido uma boa herança que ela deixará para a sociedade. 

Compartilhe

Deixe um comentário