O que é gerenciamento de riscos e por que implantar na empresa

Para falar de gerenciamento de riscos aborde o conceito de risco e os problemas potenciais de sua empresa.

O gerenciamento de riscos deve acontecer em todas as fases. Já os riscos são definidos como problemas potenciais para a empresa.

Pense nos riscos que a empresa pode passar sem um gerenciamento de riscos e nas perdas para a empresa. O risco pode vir inclusive de fontes externas e internas, o que pode incluir, por exemplo, problemas políticos ou a falta de energia e a quebra de máquinas da empresa. 

O gerenciamento de riscos atualmente

As empresas têm pensado o gerenciamento de riscos nos últimos tempos, identificando perigos e inspirando colaboradores, para que possam participar da estratégia e agir no plano de crise dentro da função desempenhada na empresa. 

Isso porque para a empresa, o risco é tanto maior quanto o tamanho desta. Empresas maiores enfrentam perigos extras e precisam ter planos de crise mais robustos. 

Tenha um bom grupo de gerenciamento de risco

Além disso, um bom grupo de gerenciamento de risco é responsável por avaliar cada risco e decidir quais deles são críticos para o negócio. É preciso pensar nos riscos com efeito de adversidade para a empresa e em sua importância. 

No entanto, esta não é única opinião entre as empresas e por isso muitas delas acabam prejudicadas. Não espere enfrentar uma crise para que sua empresa tenha um gerenciamento. Este deve seguir alguns princípios e etapas. 

Etapas envolvidas no Gerenciamento de Risco

Siga as etapas: 

Etapa 1:

conheça sua empresa nas esferas econômica, social, cultural;

tenha uma matriz com os pontos forças, fraquezas, oportunidades e ameaças;

analise métodos de gestão e o mecanismo de negócio de sua empresa. I

Etapa 2:

fique atento aos perigos. Você precisa prevê-lo e saber como atuar na ocorrência dele.

Uma vez identificados os riscos, eles devem ser avaliados quanto à sua ocorrência ou potencial perda.

Avalie a gravidade das consequências, com classificação de impacto por meio do índice: L – baixo, M – médio, H – alto e E – extremamente alto.

Etapa 3:

trate o risco. Nesta etapa acontece a avaliação de riscos e a definição de um plano para lidar com eles. 

Etapa 4:

crie o plano. Cada decisão deve ser registrada, sendo aprovada por um nível apropriado de gerenciamento. Um bom programa de gerenciamento de risco deve ter planos de ação prontos, testados e pessoas responsáveis por cada um deles.

Etapa 5:

implemente. Use métodos e planos a fim de conhecer o impacto dos riscos e saber como atuar neste espaço. 

Etapa 6:

escreva e reescreva os planos de crise para chegar ao ideal. 

Com um gerenciamento de risco preventivo, é possível: 

  • identificar perigos que não são facilmente vistos;
  • receber crédito para colaboração;
  • identificar práticas de gerenciamento de risco;
  • acessar dados de melhor qualidade e mais úteis.
  • melhorar a comunicação: as questões difíceis são conversadas e há uma possibilidade maior da equipe para o gerenciamento de risco. 

Insira um orçamento de crise no planejamento de valores da sua empresa. Assim, além de ficar precavido, evita futuros sustos desagradáveis e passa a ter um planejamento de riscos para qualquer eventualidade.

Procure uma empresa especialista no assunto. A WePlanBefore está pronta para atendê-lo. Acesse o nosso site ou acione um de nossos profissionais. Teremos prazer em atendê-lo.

Entre em contato com um de nossos especialistas e faça o planejamento de risco da sua empresa.

Compartilhe

Deixe um comentário