A transformação das redes sociais e como elas estão cada vez mais eficazes

Sabemos que um dos nossos primeiros contatos com uma grande rede social foi através do Orkut, a rede social onde compartilhávamos fotos, pensamentos, reflexões, conversávamos com amigos distantes e até jogávamos virtualmente com eles. Esse grande passo da criação do Orkut nos fez ter as redes sociais que hoje em dia muitos não vivem sem.

Mas a pergunta que não quer calar: Quando as redes sociais se tornaram tóxicas como são hoje? No documentário “O dilema das redes” da produtora Netflix, assistimos a criadores de diversas ferramentas virtuais se pronunciando, com o intuito de torná-las mais eficazes para os colaboradores. Cada rede se modificou e, hoje, apresentam funções diversas como o ‘like’ nas fotos, os compartilhamentos, a possibilidade de deixar comentários, os amigos tornaram-se seguidores, entre tantas outras coisas. 

Será que todas essas funcionalidades são utilizadas da maneira certa? Abaixo avaliamos algumas das principais redes do momento.

  • Facebook

Criado em 2004 com a finalidade de conversar com os amigos e compartilhar momentos, fotos e pensamentos, é uma das redes sociais que mais evoluiu nos últimos anos. Iniciou como uma plataforma simples, e hoje é praticamente atrelada ao Instagram. 

A evolução das suas reações, deixou explícito o pensamento das pessoas quanto a determinado conteúdo. Hoje, existem grupos de afinidades distintas, e é possível realizar compra e venda na plataforma, entre tantas outras funções.

  • WhatsApp

O queridinho dos brasileiros foi fundado em 2009. A a rede social de mensagens instantâneas, evoluiu em pouco tempo disponibilizando a função de status, que até então era uma ideologia única do Snapchat. Mas, antes de chegar no “Whats” a atualização foi visto primeiro no Instagram e Facebook. 

Um recurso apresentado pela plataforma, o ‘visto por último’, são grandes causadores de estresse e ansiedade, assim como a verificação de leitura. Todas essas podem fazer você se sentir ignorado ou até esquecido.

  • Instagram

A rede surgiu em 2010 e logo tornou-se uma das mais promissoras nas plataformas de downloads. Com a finalidade de compartilhar exclusivamente fotos e vídeos com diferentes filtros, os considerados amigos viraram seguidores e a rede social foi um dos estopins com relação à comparação online. 

O uso excessivo dos filtros começou a transmitir uma realidade alternativa da qual todos gostariam de participar e as pessoas começaram a se sentir inferiores por não receberem tantas curtidas quanto gostariam. Era possível ver as últimas atividades dos seguidores. 

Essas funções foram criadas para espalhar otimismo e interagir com o mesmo conteúdo de seus amigos, respectivamente, mas todos tornaram isso um fardo e muitos ficaram doentes e desenvolveram ansiedade, tendo a necessidade de uma intervenção do Instagram, que retirou essas duas funções há alguns anos. Mas agora é possível escolher novamente se gostaria de ver ou não o número de curtidas, o que não podemos é deixar esse hábito nos adoecer novamente.

Todas as funcionalidades para ajudar na eficácia desses aplicativos foram criadas com o intuito de espalhar otimismo, facilitar nosso dia a dia e nos proporcionar momentos de distração, sabendo o intuito de seus criadores, nos fazendo questionar! O problema pode estar em nós mesmos, tornamos o que poderia ser útil e leve em um fardo e causador de tantos problemas.

Compartilhe

Deixe um comentário